Decoração minimalista: um olhar em cada detalhe

Decoração minimalista: um olhar em cada detalhe

Os adeptos da decoração minimalista procuram por elegância e sofisticação, utilizando a velha e boa máxima de que “menos é mais”. Esse tipo de decoração leva em conta os detalhes, com poucos objetos e mobiliário, mas, com um ambiente que apresenta design requintado.

O minimalismo surgiu de uma série de movimentos artísticos e culturais no início do século XX, com adesão dos designers ao estilo por volta de 1980. Sua principal influência veio da cultura japonesa, como uma tendência contra a variação formal e cromática dos movimentos artísticos anteriores.

A tendência não é apenas de decoração, de arquitetura e design, mas, também de lifestyle. As pessoas minimalistas não abandonam apenas o excesso de móveis, mas, também abandonam o excesso de objetos, roupas e até mesmo de notificações no celular. A ideia principal é de que permaneça apenas o que for “essencial”.

Dentro deste estilo cada detalhe deve ser escolhido com muito cuidado, o que o torna difícil de ser executado com bom gosto e eficiência.

O preto e o branco são as cores mais utilizadas, enquanto o colorido é usado com muita parcimônia, sempre pendendo para os tons mais claros (nude, cinza, bege, off white). Além disso, a difusão da luz natural e a preservação do ambiente original são características muito fortes na decoração minimalista.

Os móveis devem ser funcionais e destacar os espaços vazios, através de um estilo mais “clean”, dando preferência a madeira como material principal, com linhas retas e ortogonais, dando um tom moderno através das formas geométricas.

Os objetos devem seguir as mesmas regras, mas, como material, podem utilizar cobre ou metal. A utilização do concreto cru também é bem aceita em um ambiente minimalista, desde que, este esteja de acordo com a tonalidade e disposição da decoração.

Porém, a maior dificuldade não é acertar a mão na decoração e sim, em transformar o minimalismo e estilo de vida. Desapegar de tudo que é excesso e se voltar a um estilo de vida mais simples e leve. Nesta vida agitada, viver apenas com o essencial propicia a ordem e otimiza o tempo.

Os minimalistas acreditam que viver com muito limita a nossa liberdade e reforça o medo de perder. Ser minimalista é se livrar de toda a chamada “tralha mental”, ou seja, de todos os excessos que nos rodeiam e que nos distanciam cada vez mais de nosso propósito real de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *