Passo Fundo: estruturação urbana de uma cidade média

Passo Fundo: estruturação urbana de uma cidade média

Passo fundo é considerada uma das principais cidades médias do Rio Grande do Sul, e funciona como centro de referência para os núcleos situados no entorno mais ou menos imediato. Desempenhando a função de capital regional, sua região de influência abraça uma população de mais de 01 milhão de habitantes e 132 municípios.

Com uma ótima oferta de comércio e serviços, se destaca no estado através das áreas de saúde e educação superior, além disso assume papel fundamental como “cidade do agronegócio”, atendendo as demandas do setor, principalmente no que se refere a ensino e pesquisa voltados ao agronegócio, além de apresentar uma recente e aclamada industrialização, que além de incentivos da política municipal e fiscais, conta com mais alguns fatores determinantes: localização estratégica, mão de obra qualificada e matéria prima abundante.

É possível identificarmos 03 grandes períodos relativos a estruturação urbana na cidade:
# 1º inicia em 1827 e se estende até o final do século XIX, caracterizado pela expansão paulatina da ocupação ao longo da Estrada das Tropas.

# 2º tem início com a passagem da ferrovia pelo município, em 1898, e se estende até a metade do século XX.

# 3º começa na década de 1950 e é caracterizado pela expansão horizontal na cidade, através da implantação de loteamentos periféricos, e também pela verticalização da área central, sobretudo a partir da década de 1970.

Em Passo Fundo, existem, basicamente, duas expressões de centralidade, o centro principal e os subcentros de bairros. Destacando-se 03 vias de eixos comerciais que se diluem a partir do centro principal: Av. Brasil, Av. Presidente Vargas e Av. Rio Grande. Já em relação aos subcentros, existem 03 consolidados: São Cristóvão, Vera Cruz e Boqueirão.

A partir de 1950, período em que se inicia a transição da economia rural para a agroindustrial, as indústrias passam a ocupar também as margens das principais rodovias nas saídas da cidade, e na década de 1980, passam a concentrar-se prioritariamente ao norte, às margens da ferrovia e da BR-285, tendência que se confirma nas décadas seguintes.

A distribuição socioespacial passo-fundense segue o modelo centro-periferia, em que o centro e os seus bairros do entorno são ocupados pelas camadas de média-alta renda, enquanto a periferia abriga o restante da população. Há uma clara e crescente predominância de população de classe média e alta renda na direção sudeste, bairros Lucas Araújo e São Cristóvão, assim como parte dos bairros Boqueirão (oeste) e Petrópolis (leste). A maior concentração de camadas de baixa renda está na porção oeste da cidade, nos bairros Santa Martha, Integração e Valinhos. A proximidade do centro significa acesso facilitado aos empregos e aos bens e serviços em geral.

As chamadas “áreas consolidadas” correspondem aos bairros onde há grande homogeneidade social, como a Vila Vergueiro, Vila Rodrigues e o Bosque Lucas Araújo. E, com exceção da Vila Rodrigues, que tem sido gradativamente verticalizada, as demais áreas são ocupadas predominantemente por residências unifamiliares. O bairro São Cristóvão é um dos mais extensos, tendo a 2ª maior avenida da cidade, a Av. Presidente Vargas, e tornando-se um bairro que conta com comércio diversificado, postos de gasolina, agências bancárias, e demais demandas que fazem dele um dos bairros que mais cresce em Passo Fundo.

 

Autor da pesquisa “Passo Fundo: estruturação urbana de uma cidade média”: Diego Ferretto – Arquiteto urbanista, mestre em planejamento urbano e regional pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP). Professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas) – São Paulo.

Confira a pesquisa completa aqui.

2 respostas para “Passo Fundo: estruturação urbana de uma cidade média”

  1. Legal o perfil sobre a cidade. Encontrei esta página em uma pesquisa no Google.
    Só gostaria de dar um toque: a foto apresentada nesta matéria é de Caxias do Sul, não de Passo Fundo…

Deixe um comentário para Jorge Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *